fbpx

Como sobreviver a crises como a do coronavírus

Saiba que postura adotar e o que fazer para garantir que o seu negócio consiga sobreviver a momentos de crise.

Quase 80% dos brasileiros acreditam que a economia será muito afetada pela crise do coronavírus, aponta pesquisa do instituto Datafolha. Metade dos entrevistados, ouvidos entre os dias 18 e 20 de março, aposta que os prejuízos terão efeitos por muito tempo. Já 44% estão mais otimistas e acreditam que sentiremos os efeitos por pouco tempo.

Embora a maior parte da população seja “leiga” em termos de análises econômicas, não podemos nos esquecer de que crises e períodos de crescimento têm um componente psicológico fortíssimo: tudo depende do nível da nossa confiança – enquanto grupo social – para gastar e investir. 

Então, as crenças e o sentimento geral em torno dos efeitos econômicos de uma crise ou de uma determinada situação têm efeitos concretos: se grande parte da população estiver se sentindo insegura em termos financeiros, todos enfrentaremos os impactos negativos disso. Pelo menos por algum tempo, veremos o nível de produção e os lucros caírem.

Certo, mas é possível um negócio sobreviver a crises como essa? 

Sim, é possível. E mais do que isso: quem estiver bem preparado e fizer boas escolhas pode sair fortalecido dessa situação. Quer entender como? Explicamos a seguir os pontos principais.

O que fazer durante uma situação de crise

Começando pela questão mais urgente: como agir quando já estamos em um cenário de crise? Aqui estão algumas recomendações:

Organize suas despesas e renegocie

– Faça um levantamento de todas as despesas e receitas previstas para os próximos meses. Priorize seus gastos fixos e reduza os variáveis e não essenciais. Priorizar e organizar – essas são as palavras-chave.

– Para ganhar fôlego, renegocie pagamentos de aluguéis e contratos com fornecedores e prestadores de serviço. Tente estender os prazos e diluir os pagamentos ao longo dos próximos meses. 

– Se você precisa pagar algum empréstimo, entre em contato com a instituição bancária para renegociação.

– Fique atento também às oportunidades de alteração de pagamentos de tributos e impostos.

– Neste momento, é importante agir com bom senso dos dois lados do balcão: esteja aberto a renegociar também os pagamentos dos seus clientes. Afinal, somos interdependentes.

– Também é necessário que os sócios revejam seus gastos pessoais e reduzam a retirada de capital enquanto durar a situação de crise.

StockSnap/Pixabay

Aposte na criatividade e no aprendizado

– Seu produto pode ser entregue por delivery? Seu serviço pode ser ofertado a distância ou usando canais digitais? Busque alternativas para não ficar completamente parado.

– Avalie se é possível fazer alguma promoção para manter o fluxo de caixa e vender, por exemplo, o que você já tem em estoque.

– Se possível, aproveite o período de retração ou isolamento para buscar qualificação por meio de estudos e cursos a distância. Pense nisso como uma forma de estar mais bem preparado para o momento de retomada.

Registre os aprendizados e as boas ideias que surgirem durante a crise. Eles serão úteis para situações futuras.

Mantenha contato com os seus clientes

– Busque reter os atuais clientes. Use os canais digitais para manter contato com eles e deixá-los atualizados sobre as suas ações e formas de atendimento. Ao fazer isso, use sempre um tom tranquilo.

– Se o seu negócio é do tipo B2B (business-to-business), você provavelmente já percebeu (ou perceberá) a importância de ter também os celulares dos seus clientes. Com a massiva migração para o home office, pode ser bem mais difícil encontrar alguém no telefone corporativo.

– Tenha foco na venda de produtos e serviços que são indispensáveis para o cliente. 

– Evite atitudes oportunistas, como aproveitar o momento para reajustar preços. 

Motive sua equipe e preze pelo bem-estar geral

– Procure manter a equipe motivada e em contato por meio de canais digitais.

– Preste atenção à saúde física e mental dos times. Marque videoconferências e pergunte se todos estão bem. Procure respeitar horários de trabalho e prezar pela qualidade de vida dos colaboradores. 

– Avalie, em conjunto, as rotinas e normas do home office.

– Lembre a todos que a situação é passageira e que tudo voltará ao normal em algum momento.

– Tenha flexibilidade quanto às cobranças: aceite que certas metas não serão atingidas.

Trabalhe bem suas ações de marketing

Divulgue as atitudes positivas tomadas pela empresa e os canais de atendimento no período de crise e isolamento.

– Cuidado com o tom. Evite que qualquer mensagem publicada pelos canais da empresa possa ser considerada oportunista.

– Monitore a evolução da situação em âmbito local e global.

– Avalie se é possível tomar alguma ação para contribuir com a comunidade, como oferecer serviços gratuitos e compartilhar informações relevantes.

– Pense no após a crise: que ações é possível tomar agora para que o negócio tenha força de retomada quando a situação melhorar? Reúna os times e pensem juntos.

kreatikar/Pixabay

O antes da crise: como elevar a imunidade do seu negócio

Algumas crises são mais previsíveis e mandam sinais, enquanto outras são mais inesperadas e têm desdobramentos surpreendentes. A crise do coronavírus é do segundo tipo.

Não existe um grande segredo para deixar o seu negócio mais bem preparado para eventuais crises. As recomendações são as mesmas para manter uma empresa funcionando de maneira sustentável:

Gestão organizada e enxuta, com a adoção de soluções que aumentem a produção e reduzam custos.

Investimento em tecnologia e softwares que otimizem processos, como sistemas CRM (Customer Relationship Management), ERP (Enterprise Resource Planning), plataformas de gestão financeira, sistemas em nuvem, aplicativos móveis e programas de comunicação que funcionem em ambientes internos e externos.

Capacitação para gestão de risco: tornar os líderes capazes de identificar potenciais ameaças, classificá-las e pensar de forma antecipada em respostas para questões ocupacionais, jurídicas, econômicas e de imagem. Avalie construir uma matriz de risco para gerenciar esses elementos – como exemplo, conheça o modelo adotado pelo Ministério da Economia.

Inove sempre. Crises podem funcionar como momentos de ruptura, em que formas ultrapassadas de pensar e agir são abandonadas de vez. Para se manter no jogo, seja flexível e esteja aberto ao novo.

fancycrave1/Pixabay

Agora, queremos ouvir você. Que lições você está tirando ou tirou da crise do coronavírus? Deixe seu comentário!

Deixe uma resposta