O Diploma Universitário Vai Garantir um Bom Emprego ou a Satisfação Profissional?

As mudanças de mercado, demandas das empresas, de interesse dos recém formados nem sempre encontram o suprimento das necessidades nas escolas. Afinal, um diploma é de fato necessário para um futuro profissional de sucesso?

Em um passado não muito distante, ter um diploma universitário era visto como a única forma de ganhar prestígio, de uma grande conquista na vida de uma pessoa.O mercado de trabalho valorizava um diploma de grandes universidades do país e do exterior e ter uma graduação, pós graduação, MBA em uma destas instituições renomadas era certeza de bons empregos e salários.O que mudou então?

O mundo mudou. A forma como novas empresas surgem e evoluem. As universidades não estão acompanhando o ritmo das transformações do mercado de trabalho e empresas como de tecnologia vêm ganhando cada vez mais espaço. Aquela certeza de ter um emprego rentável ao se formar também não existe mais, inclusive os interesses dos recém formados são muito voláteis, pois desejam migrar muito mais para o ramo de empreendedorismo, criando startups e seguindo o próprio sonho. Cada vez mais cedo, as pessoas despertam para encontrar propósitos nos seus trabalhos, nas suas rotinas, e ao perceberem que seus sonhos não serão supridos com um diploma, tendem a abandonar o caminho acadêmico tradicional. 

Novos rumos para o sucesso 

A busca por profissionais qualificados não considera mais apenas um certificado, um diploma ou nome de grandes instituições. Um dos executivos mais admirados no mundo atual, Elon Musk busca por profissionais que tenham conhecimento específico, que aprendem por conta própria e tenham vontade de conhecer cada vez mais coisas novas.

Mas vamos com calma. Não são todos os mercados que tem essa flexibilidade.

As empresas estão se adaptando mas se você pensa em seguir uma profissão tradicional como engenharia, direito ou algo dentro da área de saúde, o mercado segue tradicional e valoriza diplomas e cursos conquistados em instituições tradicionais de ensino e precisa das suas habilidades técnicas.

Diploma x Experiência

Imagina um médico que vai fazer uma cirurgia em você, porém ele nunca praticou, nunca teve a tutela de alguém? O diploma da faculdade dele atesta que ele possui experiência, vivência e capacidade para executar um trabalho cirúrgico no seu corpo.

Entretanto, no ambiente empresarial, a maioria das tarefas envolvem muitos aspectos e habilidades, como por exemplo um vendedor. Toda empresa precisa vender para faturar e dar lucro, mas não existe faculdade de vendas, loucura não?! Um bom vendedor precisa saber profundamente sobre o produto ou serviço que está se propondo a vender, além disso ter habilidades de negociação, de empatia, de oratória, entender de marketing, processos, funil de vendas, saber de muitas Hard Skills e People Skills.

Um vendedor sem experiência ou com algumas habilidades ainda em desenvolvimento pode até perder algumas vendas no começo, porém nada que coloque a vida de uma pessoa em risco. Talvez atrase um pouco o desenvolvimento do negócio? Sim. Precisa de uma faculdade atestando que ele já está apto para vender, como no caso de um médico? Claro que não. 

Assim, ele vai conquistar essas habilidades conforme o tempo e pode acelerar esse aprendizado com mentoria, errando e corrigindo, na vivência do dia a dia e treinamentos específicos para desempenhar melhor em determinados aspectos. Com as rápidas mudanças que o mercado de trabalho passa, ter um diploma não é mais garantia do conhecimento atualizado e aplicável, muito menos ter aptidão com habilidades de People Skills. 

As empresas já estão percebendo esse atraso e falta de preparo em muitos alunos recém formados, mesmo formados em faculdades renomadas. Por isso, já começam a expandir os olhares para pessoas que obtiveram conhecimento e experiência de outras maneiras, considerando como mais importante habilidades interpessoais que são na maioria das vezes desenvolvidas apenas no ambiente de trabalho e atuação de verdade no mercado de trabalho.

Hard x People Skills

Mas quando começou isso? No momento em que as empresas começaram a analisar os motivos que todas as pessoas excelentes nos quesitos técnicos eram demitidas: falta de habilidades comportamentais (People Skills). As pessoas sabiam todas as ferramentas e softwares, conceitos e teorias, porém não sabiam trabalhar em equipe, produzir sob pressão, receber feedbacks, oratória, entre outros fatores que dificilmente foram desenvolvidos durante a graduação.

Mas eu fiz faculdade, gastei 50, 60, 100 mil reais em um curso de graduação e agora não me serve de nada? Calma! Não é assim. Ter habilidades específicas é importantíssimo, mas não é garantia de nada. As empresas precisam além disso.

Competências técnicas, comportamentais e analíticas seguem no radar das empresas e por conta disso, muitos profissionais contratados acabam passando por treinamentos específicos para ganhar experiências em determinados assuntos que precisam evoluir.

E eu faço o que com o meu diploma?

O diploma que você levou – ou vai levar – quatro anos ou mais para conquistar, não foi perda de tempo, não está desvalorizado ou perdeu sua importância. Apenas a tendência mudou e o ensino superior já não é mais fator decisivo na hora de escolher entre o candidato A ou B para preencher uma vaga. 

Saiba também que o conhecimento vem sendo atualizado a cada dia numa velocidade maior, portanto o profissional do futuro precisa estar habituado a reaprender constantemente. O profissional do futuro, para não desaparecer ou ser substituído por uma máquina, precisa ter em mente que habilidades interpessoais são importantíssimas e que as habilidades técnicas úteis hoje, podem não ser úteis amanhã. Cada vez mais são valorizadas as capacidades humanas relacionadas ao trabalho, que não poderão ser executadas por automação.

Tome decisões conscientes

Em suma, não estamos aqui querendo que você desista do seu sonho de cursar uma faculdade ou de estudar o que sempre sonhou. Curse, afinal você vai adquirir técnicas, fazer networking e encontrar inúmeras oportunidades – além do conhecimento que lá é oferecido – mesmo que nem sempre de uma maneira atrativa.  E também existem faculdades inovadoras em 2020, buscando trazer para dentro do dia a dia do aluno a vivência do mundo real, forçando a desenvolver habilidades de soft skills e resolvendo problemas de verdade.

As pessoas só querem ser felizes, seguir os próprios sonhos. Por isso, planeje bem aonde você quer chegar e a partir disso decida se vale a pena fazer uma faculdade, um curso, abrir uma empresa, estagiar, estudar em grupos ou simplesmente começar a por a mão na massa. Todos os caminhos serão árduos e exigem dedicação, porém se você estiver consciente dos prós e contras de cada opção que você possui, fica muito mais fácil e a motivação naturalmente surge em você.

Deixe uma resposta