Como construir um plano de negócios: o que é, para que serve e como fazer?

Ponto de partida para um negócio se estruturar e começar a crescer, o plano de negócios ajuda a entender o que é e para onde pode ir seu negócio, o que direciona e mostra as possibilidades de escolhas desde a ideia até o seu MVP

Um plano de negócios é a primeira ferramenta necessária para se estruturar um negócio. Mesmo que ele já exista e agora seja o momento de profissionaliza-lo, esse é o primeiro passo que um empreendedor deve dar no sentido deixá-lo mais apto a ter sucesso.

Além de planejamento, ele será o documento que servirá como instrumento de diagnóstico e como ferramenta de financiamento. Por isso deve ser embasado com dados reais e não só com ideias. Um bom plano de negócio é mutável e vai se adaptando às mudanças de mercado, do meio e da própria empresa – assim, ele sempre será o elemento que dará a direção para onde vai a empresa.

É muito útil para negócios na fase inicial – que ainda não saíram do papel – que já começaram mas não sabem bem que rumo tomar e para empresas que querem escalar.

Nele, você precisará incluir os seguintes ítens, que detalhamos neste post:

Sumário do empreendedor

Aqui você vai elaborar um resumo de todo o plano, com três páginas no máximo. Se deixá-lo por último ao elaborar, ficará bem mais fácil de fazer, uma vez que já terá percorrido as etapas. 

Nele, você incluirá as metas da sua empresa, uma descrição breve do que é o negócio, missão, perfil dos sócios e funcionários (caso ainda não tenha, isso ajudará na seleção). Você também pode listar quais os serviços, produtos e diferenciais da empresa – qual a necessidade que ele atende-, os potenciais clientes, investimento inicial, a forma jurídica e qual o enquadramento tributário escolhido. Caso já tenha definida a localização física, também vale contar aqui. Outros pontos que sejam diferenciais da sua empresa é bem importante listá-los no sumário.

Deixe essa parte concisa, clara e capaz de atrair o leitor – afinal, ele pode ser lido por um potencial investidor, um cliente ou até um sócio. Se a leitura for atrativa, consequentemente seu negócio terá uma avaliação mais adequada.

Análise de mercado

Essa etapa exige muita pesquisa e dedicação do empreendedor. Nela, você entenderá como são e o que esperam seus clientes, analisará se existe e como atuam seus concorrentes e de quais fornecedores você vai precisar. Aqui, é a hora de avaliar a logística – prazos, formas e custos de entregas -podem ser determinantes para a seu negócio operar.

Para fazer a segmentação de clientes, a alma do negócio, é preciso entender seus hábitos de consumo. Traçar seu perfil – idade, gênero, faixa etária, estado civil, se possuem filhos – auxilia muito para entender como influenciar, impactar e chegar até eles. Perguntar como e com que frequência seu produto ou serviço é consumido, o que os leva a consumir e onde seu produto é adquirido, se ele é voltado para pessoas físicas ou jurídicas podem balizar seu detalhamento. Quanto mais profundamente seu público alvo for analisado, melhor você saberá como atender suas necessidades – e terá claramente as respostas de viabilidade do seu produto.  Essas respostas vão te mostrar se existe demanda de mercado e se ela está ou não em crescimento – e também mostrará muito da viabilidade do seu negócio.

Na sequência, você vai buscar analisar sua concorrência. O produto ou serviço que você está propondo já existe? Quais, quantos são e como se posicionam seus concorrentes? Essas respostas lhe mostrarão quais os diferenciais que você pode adicionar no seu negócio para que sua oferta se destaque. Entenda por quais razões seus clientes buscam seus concorrentes para atender suas necessidades. A busca destas respostas levará vocÊ e seus sócios aprender valiosas lições do que fazer ou não durante a operação.

Lembre-se que a elaboração deste material não é especulativa, por isso, você deve se basear em dados. Pesquisas que já existam, questionários, entrevistas. Quanto mais próximo do real você estiver, mais assertiva será sua previsão – que vai te levar ao sucesso da empresa.

Procure saber detalhes como preço, atendimento ao cliente, problemas que os concorrentes enfrentam. Nesta etapa, você pode fazer previsões desfavoráveis, para entender riscos e percorrer como reagiria nestas situações. Por exemplo: seus concorrentes teriam como reagir com preços promocionais abaixo do custo com a abertura do seu negócio? Como a sua empresa lidaria com esta situação? – Além de antecipar a produção de cenários, isso já prevê os possíveis riscos que seu negócio pode correr.

Outra etapa fundamental é a análise de fornecedores que muitos empreendedores negligenciam. Fornecedores são aqueles que fornecerão mão de obra, matéria prima ou recursos que irão possibilitar seu produto ou serviço. Estude a fundo cada uma das possibilidades, avalie custo-benefício e mantenha um estreito relacionamento. Boas parcerias com fornecedores podem ser decisivas para o sucesso da sua empresa.

E mesmo que feche parceria com um fornecedor favorito, sempre tenha contato com mais um. Em algum momento – quando o primeiro não puder te atender ou caso aumente suas vendas, você pode precisar acionar sua opção número dois. E lembre-se que a qualidade de matéria prima faz diferença no seu produto final.

Plano de marketing

Aqui está o corpo do seu negócio. Ao definir o plano de marketing da empresa você decide qual é o discurso, como vai apresentar seu serviço, com qual cara o seu produto vai para a rua. Nele você decide as cores, embalagem, apresentação. Formato de entregas, horas de trabalho, enfim tudo que mostrará o que faz do seu produto único.

Descreva o produto em detalhes nesta etapa. Fale de preço, mostre como ele se destaca da concorrência. Aborde o setor da economia que atendem e como será seu plano de distribuição – vai vender online ou físico? Em quais espaços? Para essa resposta, utilize o seus primeiros estudos sobre perfis do seu cliente. Saber onde ele está e qual seu perfil de compra vai embasar sua decisão de ponto de venda.

Aqui também são definidos os meios de divulgação. Serão em mídias online ou impressa? Televisão ou Rádio? Levante os custos desse planejamento e trace ao menos três perfis – com tetos de custo diferentes- para executá-los de acordo com o orçamento que você tiver – sem deixar de divulgar.

Pontos importantes desta etapa: definir o discurso, mostrar como é produto, fazer o cliente saber dele e levá-lo para perto do consumidor. Falar de preço também é importante e ele pode ser envolvido na campanha de divulgação da marca/ produto.

Plano operacional

Agora a gente está falando de mão na massa! Aqui, mostraremos no documento como a empresa funciona: número de funcionários, estrutura física necessária, tudo aquilo que é necessário para efetivar a venda do seu produto.

Sua capacidade de produção, tempo necessário para cada etapa de produção ou entrega do serviço prestado, tudo deve ser detalhadamente descrito. Aqui, você vai contar como é que a empresa funciona no dia a dia.

Em caso de serviços, demonstre o perfil de pessoas que irá ocupar cada cargo. Em caso de produtos com venda física, inclua desenhos e/ou plantas da disposição espacial no PDV.

Plano financeiro

Hora de falar de dinheiro, pessoal. O assunto demanda seriedade, por mais descolado que seja seu negócio.Qual o investimento inicial, o capital de giro, custos operacionais? Essa resposta demonstrada por orçamentos e planilhas darão confiabilidade ao seu plano. Você também pode mostrar qual é o ponto de equilíbrio explicando qual é o mínimo que o negócio precisa faturar para se manter.

Indicadores de retorno sobre investimento e resultados devem ser incluídos nesta etapa. Aqui você explica como o seu negócio será avaliado e quais métricas serão utilizadas para mostrar como ele está caminhando. Por meio destas ferramentas, você saberá o quão lucrativo será seu empreendimento.

É necessário que sejam previstos os custos com fornecedores, matéria prima e tudo que envolve a etapa pré-operacional. Taxas para funcionamento, equipamentos, locação de espaço são importantes e devem ser listados aqui.

Aqui, sim, você provavelmente trabalhará com estimativas – que quanto mais próximas do real, melhor para o seu negócio que terá menos situações que não tenha sido prevista. Uma dica para facilitar seu trabalho é incluir aqui um demonstrativo de resultados (DRE ou mesmo demonstrativo de receita e despesa) pois além de credibilidade, vai te ajudar a entender qual é o ritmo do negócio. Essa análise mostrará o montante de investimento necessário para sua empresa sair do papel e ter fôlego de operação. 

Análise estratégica

Avaliação do ambiente externo e interno para identificar oportunidades e ameaças à empresa. O que poderia ser um gargalo e como você solucionaria essa questão? Descrever forças e fraquezas, além de demonstrar conhecimento intrínseco do negócio e visão de longo prazo, denotam maturidade dos sócios na gestão da empresa e gerenciamento de crises, que possam ocorrer no decorrer do tempo. Mostre aqui qual é o comportamento seu como gestor e do time frente às diversas situações que poderão ocorrer. Qual o seu poder de reação? Quais as ferramentas e habilidaades necessárias? – Atenção para as people skills, empreendedor! Saiba mais sobre elas aqui.

Análise de cenários 

Trace três cenários para sua empresa: um otimista, um pessimista e um mediano, em determinado espaço de tempo. Em cada uma delas mostre quais ações você tomaria, mostrando sua capacidade de condução do negócio. Aqui também é especulativo, mas quanto mais próximo de situações reais, melhor para o seu negócio.

Avaliação do negócio 

Aqui você vai avaliar o trabalho realizado. Procure responder se com essas informações que você já levantou, você se arriscaria a investir nesse negócio? E se coloque no lugar de um investidor: com base nesses dados, é um negócio arriscado ou é uma super oportunidade lucrativa investir nessa proposta? Caso avalie que faltam dados para que a resposta seja sim, busque mais informações. As conclusões desta etapa demonstrarão se seu negócio é viável ou não. 

Caso a resposta seja sim, mãos à obra! Tire seu negócio do papel, corrija o que está indo por um caminho não adequado na empresa que já caminha e sempre revisite este material. É muito importante que seu plano de negócios seja adequado à realidade de mercado. Portanto, sempre atualize. Será saudável para o seu empreendimento.

Caso tenha percebido a inviabilidade do negócio, busque uma nova ideia. A gente tem sugestões de métodos para ideias de negócios neste texto. E não desista! é possível empreender e certamente você encontrará um caminho.

Você pode ter uma ideia mais detalhada neste video de como elaborar um plano de negócios. E ainda se quiser se aprofundar neste tema, o Além da Facul tem várias formas de te ajudar: tem aula sobre como montar seu plano de negócios no Além da Facul+ e se você quer se aprofundar no mundo do empreendedorismo com um acompanhamento mais profundo, tem Build Your Business – que está na #promo de black november e orienta na construção de um negócio.

Por Samantha Costa Ramos

Deixe uma resposta

Antes de prosseguir, você aceita receber informações no seu email?

Saiba mais sobre as políticas de privacidade clicando aqui.

is_page (https://alemdafacul.com/adf-jdl/)